Nota Pública | MTST denuncia reintegração ilegal e truculenta, além de ameaças de grupo anônimo a famílias sem-teto em Roraima

Na última quinta-feira, dia 7 de fevereiro, 12 das cerca de 58 famílias do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto que vivem no assentamento Estrela Brilhante, em Boa Vista, capital de Roraima, foram expulsas sem qualquer espécie de notificação prévia ou ordem judicial.

>> Leia a notícia completa e os relatos de companheiros e companheiras em Boa Vista

A retirada das pessoas do local foi feita de forma violenta e truculenta, com relatos de quebra de bens materiais e humilhações psicológicas, por parte de integrantes da Defesa Civil e da Guarda Municipal, por determinação da EMHUR (Empresa de Desenvolvimento Urbano e Habitacional do Município de Boa Vista). O acampamento, localizado no bairro Cidade Satélite e estabelecido no local desde 2015, possui autorização da Iteraima (Instituto de Terras e Colonização do Estado de Roraima).

Ainda que não tenham apresentado qualquer documentação para a reintegração de posse, a EMHUR alegou que a porção do terreno em que se encontravam as 12 famílias expulsas fazia parte de uma via pública. Elas foram realocadas numa área de 30 por 24 metros, abandonada há cerca de dois anos, a pouca distância do assentamento Estrela Brilhante.

No entanto, dias após a mudança de local, a perseguição recomeçou, desta vez, por parte de um grupo anônimo — incluindo um autoproclamado proprietário, que não apresentou identificação ou documentos que comprovem a posse da área. Tais pessoas têm visitado as famílias e feito ameaças constantes, como incendiar o acampamento e botar os barracos abaixo.

A coordenação local do MTST procurou o Ministério Público e a Secretaria de Segurança de Roraima para denunciar as ameaças sofridas, além do descaso com as famílias despejadas. Agora, o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto vem a público divulgar o que vem acontecendo em Boa Vista, assim como exigir soluções e medidas dos governantes locais, responsabilizando-os por qualquer ato que possa acontecer contra as famílias sem-teto.

Não nos intimidaremos. A luta por moradia no Brasil só acaba quando a última família sem-teto conquistar a sua habitação digna.

MTST, A LUTA É PRA VALER

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *