Busca por feminismo via Google aumenta 200% no Brasil

Fonte: Vice Brasil

Por Débora Lopes

Relatório afirma que a procura por termos como racismo, gordofobia, empoderamento e transexualidade não para de crescer.

Ilustração do dossiê publicado pelo Google BrandLab. Crédito: divulgação

Foram os estados do Rio do Janeiro e do Espírito Santo que mais procuraram informações sobre feminismo no Google de 2016 para cá. Os dados surgem de um relatório recente do Google BrandLab dedicado à diversidade, abarcando temas como empoderamento feminino, racismo e a comunidade LGBTQIA+.

As buscas sobre feminismo, especificamente, cresceram mais de 200% nos últimos dois anos. O dossiê aponta também que a Bahia é o estado que mais procurou sobre racismo. Em 2016, a busca dos baianos foi 60% maior do que no estado de São Paulo.

Um termo específico chamou a atenção dos brasileiros: transgênero. Provavelmente, a personagem Ivana/Ivan, interpretada por Carol Duarte na novela A Força do Querer, colaborou para incensar o tema. No último ano, o aumento da palavra jogada no Google foi de 123%.

O estudo mostra também a notabilidade de alguns tópicos sobre os quais foram publicados vídeos no YouTube. Foram mais de 300 mil vídeos falando sobre gordofobia nos últimos seis meses.

Saque abaixo alguns destaques do dossiê publicado pelo Google:

Empoderamento
Bahia e Piauí foram os dois estados que mais gugaram o termo

Apropriação cultural
Foram publicados 4.700 vídeos no YouTube sobre apropriação cultural

Heterofobia
Os estados do Tocantins e do Maranhão, no nordeste do país, foram os que mais gugaram sobre o assunto

Diversidade étnica
O estado campeão de buscas pelo tema foi Roraima, no norte do Brasil

Mulher negra
Youtubers publicaram 13 mil vídeos dedicados ao tema

Para ler o dossiê na íntegra, clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

CAPTCHA