Opressão e guerra psicológica na nova ocupação do MTST, em São Bernardo

Policiais Militares invadiram a nova ocupação do MTST em São Bernardo do Campo, na rua João Augusto de Souza, próxima à portaria 5, da fábrica Scania, nesta segunda-feira, 4/9. Eles se recusam a conversar com as mulheres da ocupação, ignorando todas as tentativas de diálogo até aqui. Helicópteros seguem sobrevoando o terreno, tornando o clima ainda mais tenso.

Mesmo após a intermediação dos advogados do MTST — que realizou a ocupação do terreno na madrugada do sábado, dia 2/9 — as forças policias impediram a entrada de materiais para novos barracos. O setor jurídico do Movimento vem tentando entrar com ação contra o despejo.

No momento, a Polícia Militar instala uma base comunitária móvel em frente ao local. A Guarda Civil Metropolitana faz a guarda ostensiva na entrada do terreno.

A importância dessa ocupação para o município é grande uma vez que o deficit habitacional em São Bernardo do Campo é de 90 mil famílias sem casa, o maior do Grande ABC, que acumula mais 230 mil famílias sem-teto.

A ocupação foi feita por quinhentas famílias que buscam, na força da luta, garantir o direito constitucional e humano de ter uma casa. A legitimidade da ocupação se garante pelo simples fato de que o uso do terreno foi sempre a especulação imobiliária.

O MTST pede apoio na alimentação para manter a ocupação e o aconchego das famílias acampadas, além do apoio de vereadores e políticos solidários à causa progressista, contra a pressão de PM e GCM. Pede também solidariedade na divulgação e denúncia na mídia para expandir a repercussão.

Apoiadores presentes na ocupação:

*PT
*PSOL
*Casa vip hop Diadema
*Associação meu teto SBC .
*Eureca
*Conselho tutelar
*MLB
*Militantes dos DH.
*APEOESP
*Associação Unidos Vila Yolanda.
*Pastor Cícero Banco de Alimentos Diadema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

CAPTCHA