8 de março é marcado por luta das mulheres e vitória do MTST

No Dia Internacional de Luta das Mulheres, após participação nas manifestações de todo o Brasil, MTST conquista retomada das contratações do Minha Casa Minha Vida

As mulheres do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto participaram da marcha que percorreu o trajeto da Praça da Sé até a Praça da República, no centro da cidade de São Paulo, como parte das atividades pelo Dia Internacional de Luta das Mulheres. Nos demais municípios, as trabalhadoras do movimento também aderiram as manifestações em conjunto com mulheres de diversos setores. Todas que ocuparam as ruas reivindicavam principalmente pela igualdade de direitos entre os gêneros e contra a Reforma da Previdência.

No fim do dia, após o encerramento das manifestações que marcaram o 8 de março, a Avenida Paulista foi tomada por uma multidão que eram as trabalhadoras e os trabalhadores do MTST. “Antes da gente entrar no ponto principal da nossa assembleia hoje, eu queria, com todo o respeito e satisfação, meus companheiros homens que constroem esse movimento, pedir que aqui nesse tumulto vocês achem um espaço, deem um passo para trás e as companheiras deem um passo para frente, para começar a assembleia com a mulherada aqui na frente”, foi o primeiro pedido de Natalia Szermeta, coordenadora do MTST que conduziu toda a assembleia.

Depois de forte discurso que reafirmou a luta contínua de todas as mulheres do movimento por igualdade entre os gêneros, pela autonomia das mulheres sob seus corpos, pelo fim da desigualdade financeira e pela verdadeira liberdade, foi anunciada a grande conquista da noite: a retomada das contratações de moradia na Faixa 1 do programa Minha Casa Minha Vida, suspensas desde a entrada do governo Temer.

Após 22 dias de resistência, com um acampamento repleto de formação e cultura, que recebeu apoio popular e político, o MTST vai colher os frutos de árdua luta. “Nós conseguimos provar que a força, a fé e a luta do povo move montanhas. Passamos, talvez, por um dos períodos mais decisivos e difíceis da nossa luta nos últimos anos e vencemos essa batalha”, afirmou Natalia durante a assembleia.

E agora que o movimento finalmente foi ouvido e que há um acordo concreto para a retomada do programa de moradia, as barracas já se retiraram da Avenida Paulista. Contudo, a coordenadora ainda deixou um recado especial para o Presidente da República: “Hoje não estamos dizendo adeus para a Avenida Paulista, estamos dizendo um “até logo”, porque dia 15 temos luta aqui contra a Reforma da Previdência”.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

CAPTCHA